TROCAS COMERCIAIS JANEIRO – SETEMBRO 2017

(mil €uros)

 

GRUPOS DE PRODUTOS IMPORTAÇÃO EXPORTAÇÃO
Agrícolas

5 880,7

200 525,1
Alimentares

30,9

138 891,6

Combustíveis Minerais

147 485,7

14 147,3

Químicos

7,4

164 816,5

Plásticos, Borracha

193,0

83 452,7

Peles, Couros

6,1

3 854,6

Madeira, Cortiça

3 990,2

9 677,3

Pastas Celulósicas, Papel

7,7

41 696,2

Matérias Têxteis 32,5

17 240,4

Vestuário 3,2

18 812,0

Calçado

1,3

13 877,0

Minerais, Minérios

730,1

41 146,4

Metais Comuns

534,4

116 168,4

Máquinas, Aparelhos

5 653,2

324 608,0

Veículos, Outros Meios de Transporte

686,0

26 204,4

Óptica e Precisão

555,2

29 339,5

Outros Produtos

43,3

78 701,1

TOTAL 165 840,8

1 323 158,5

Elaborado pela CCIPA com base em dados do INE Portugal

 

Entre janeiro e setembro de 2017, as exportações portuguesas de mercadorias para Angola registaram um valor aproximado de € 1.323,2 milhões, o que reflete um crescimento de 37,2% face ao período homólogo de 2016, quando o movimento havia registado € 964,6 milhões. O peso das exportações para Angola no total das exportações portuguesas extracomunitárias viu-se, assim, aumentado de 11%, em 2016, para 12,5%, em 2017.

Os principais grupos de produtos de origem portuguesa importados por Angola continuaram a ser as máquinas e aparelhos (€ 324,6 milhões), seguidas dos produtos agrícolas (€ 200,5 milhões) e dos produtos químicos (€ 164,8 milhões), que representam 52,1% do total das mercadorias exportadas para o mercado angolano.

Já as importações portuguesas de bens com origem em Angola sofreram uma diminuição de 72,1% entre janeiro e setembro do ano em curso face ao 3º trimestre de 2016, registando o montante de € 165,8 milhões e representando 1,3% do total das importações portuguesas extracomunitárias; em setembro do ano transato, esta quota-parte era de 5,9%.

A maior parte das exportações angolanas para Portugal continua a assentar no petróleo, mas com a representatividade deste no cômputo geral a continuar a baixar: de 97,2% das importações portuguesas extracomunitárias totais, em 2016, passou para 88,9% das mesmas no 3º trimestre de 2017, o que significa que, paulatinamente, Angola começa a produzir e exportar outros bens para além do crude. Ao petróleo, seguiram-se os produtos agrícolas (€5,881 milhões) e as máquinas e aparelhos (€ 5,653 milhões), os quais, em conjunto com os combustíveis minerais, perfizeram 95,9%% do total das compras de Portugal a Angola.

No 3º trimestre de 2017, Portugal manteve-se como o principal fornecedor de mercadorias a Angola; Angola manteve-se como segundo maior destino das exportações portuguesas extracomunitárias (a seguir aos E.U.A.) e o 8º principal mercado das exportações portuguesas totais.

Elaborado pela CCIPA com base em dados do INE Portugal

 

 

Partilhar o artigo "TROCAS COMERCIAIS JANEIRO – SETEMBRO 2017"

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn