Portugal junta-se a Angola no Conselho Económico e Social da ONU

Portugal foi eleito, no dia 18 de junho, conjuntamente com outros 17 países, para integrar o Conselho Económico e Social das Nações Unidas (ECOSOC), com 182 votos a favor de entre 193 possíveis. O mandato terá uma duração de 3 anos com início a 1 de janeiro de 2021, sendo que a missão permanente de Portugal junto da ONU já foi membro deste Conselho entre o início de 2015 e o final de 2017. O ECOSOC integra 54 Estados-membros, eleitos cada um com 2/3 dos votos, ou seja, pelo menos 128 votos dos 193 membros das Nações Unidas. Para além de Portugal, garantiram lugar no ECOSOC a Alemanha, a Argentina, a Áustria, a Bolívia, a Bulgária, a França, a Guatemala, as Ilhas Salomão, a Indonésia, o Japão, a Libéria, a Líbia, o Madagáscar, o México, a Nigéria, o Reino Unido e o Zimbabué. Angola encontra-se a meio do seu 3º mandato de 3 anos (é a 3ª vez, desde a sua independência, que a República de Angola integra esta Organização especializada das Nações Unidas) enquanto Membro do ECOSOC, o qual teve início em 1 de janeiro de 2019 (depois de o país ter sido eleito em 13 de junho de 2018) e vigorará até 31 de dezembro de 2021. As datas em causa significam que Portugal e Angola virão a “conviver” simultaneamente enquanto Membros do Conselho Económico e Social das Nações Unidas durante todo o próximo ano. Criado em 1945 como um dos 6 órgãos principais da ONU, o ECOSOC atua em ligação com outras entidades da Organização, visando o desenvolvimento sustentável em 3 dimensões principais: económica, social e ambiental. Promove um fórum político de alto nível e um fórum de cooperação para o desenvolvimento, para além de, anualmente, estruturar o seu trabalho em torno de um tema de importância global para o desenvolvimento sustentável.

Partilhar o artigo "Portugal junta-se a Angola no Conselho Económico e Social da ONU"

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn