Angola mudou o paradigma, mas diversificação demora tempo

O Presidente da Câmara de Comércio e Indústria Portugal-Angola (CCIPA) disse que há uma “alteração de paradigma” em Angola mas, alertou, a diversificação económica é um processo demorado. “Há uma ambição
de tornar Angola um país muito atrativo para os investidores estrangeiros, e isso passou, não só por alterações legislativas, mas também pelo facto de o Governo ter ‘arregaçado as mangas”, afirmou João Traça, em entrevista à Lusa. O Presidente da CCIPA disse que “só com João Lourenço é que as coisas avançaram e isso é muito importante para as relações entre Portugal e Angola”. Segundo o responsável associativo, “o crescimento económico tem de ser fomentado com a realização de reformas. O Estado vai ter de gastar menos e ter mais receitas, mas o petróleo vai continuar a ser a chave da economia, porque embora exista a visão de que o futuro de Angola passa pela diversificação, o sector petrolífero é, e vai continuar a ser, o grande motor da economia, é o que vai criar as condições para acelerar a diversificação”.

Partilhar o artigo "Angola mudou o paradigma, mas diversificação demora tempo"

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn